As transfusões de plaquetas são administradas para prevenir ou tratar o sangramento em pacientes com distúrbios quantitativos ou qualitativos das plaquetas. A AABB (anteriormente, a Associação Americana de Bancos de Sangue) desenvolveu essa diretriz sobre o uso adequado de transfusão de plaquetas em pacientes adultos.
Estas diretrizes são baseadas em uma revisão sistemática de ensaios clínicos randomizados e estudos observacionais que relataram os resultados clínicos em pacientes que receberam transfusões de plaquetas profiláticas ou terapêuticas. Foi realizada uma busca na literatura no período de 1900 a setembro de 2014, sem restrições de idiomas dos artigos publicados. Os desfechos analisados foram: mortalidade (geral), mortalidade relacionada com o sangramento, hemorragia e número de unidades de plaquetas transfundidas. Um painel de especialistas revisou os dados e desenvolveu recomendações utilizando a classificação da avaliação de recomendações, desenvolvimento e avaliação(GRADE, Grading of recommendations assessment, development, and evaluation).

 

Recomendações:

 

1- A AABB recomenda que as plaquetas devam ser transfundidas profilaticamente para reduzir o risco de sangramento espontâneo em pacientes adultos hospitalizados com trombocitopenia induzida por terapia hipoproliferativa (quimioterapia, p. ex). A AABB recomenda transfusão de pacientes adultos hospitalizados com uma contagem de plaquetas ≤10.000 células/mm³ para reduzir o risco de sangramento espontâneo. A AABB recomenda a transfusão de uma única unidade de aférese ou equivalente de plaquetas randômicas. Doses maiores não são mais eficazes e doses menores iguais à metade de uma unidade de aférese padrão são igualmente eficazes (Grau: forte recomendação; evidência de qualidade moderada).

 

2- A AABB sugere transfusão profilática de plaquetas para pacientes com colocação de cateter venoso central eletivo com uma contagem de plaquetas inferior a 20.000 células/mm³ (Grau: recomendação fraca; evidências de baixa qualidade).

 

3- A AABB sugere transfusão profilática de plaquetas para pacientes com punção lombar eletiva diagnóstica com uma contagem de plaquetas inferior a 50.000 células/mm³ (Grau: recomendação fraca; evidência de muito baixa qualidade).

 

4- A AABB sugere transfusão profilática de plaquetas para pacientes que serão submetidos a cirurgias de grande porte, eletivas, com exceção de neurocirurgias, com uma contagem de plaquetas inferior a 50.000 células/mm³ (Grau de recomendação: fraco; evidência de muito baixa qualidade).

 

5- A AABB não recomenda a transfusão profilática de plaquetas para pacientes sem plaquetopenia que serão submetidos à cirurgia cardíaca com circulação extracorpórea (CEC). A AABB sugere transfusão de plaquetas para pacientes com CEC que apresentam sangramento intra-operatório com trombocitopenia e/ou evidência de disfunção plaquetária (Grau: recomendação fraca; muita evidência de baixa qualidade).

 

6- A AABB não pode recomendar a favor ou contra a transfusão de plaquetas para pacientes que receberam terapia antiplaquetária que tem hemorragia intracraniana (traumática ou espontânea) (Grau: recomendação incerta; muita evidência de baixa qualidade).

 

Guideline publicado em 11 de novembro de 2014 Kaufman RM et al. Platelet transfusion: a clinical practice guideline from the AABB (American Association of Blood Banks). Ann Intern Med. 2014 Nov 11. doi: 10.7326/M14-1589. [Epub ahead of print]